domingo, 5 de setembro de 2010

POSSÍVEIS SIGNIFICADOS DAS ALTERAÇÕES LEUCOCITÁRIAS

REFERÊNCIAS - HEMATOLOGIA



HEMATOLOGIA EQUINA

NOSSO AMIGO BLUE RESOLVEU COLABORAR COM O BLOG .....



.... E NO SEU CHECK UP GERAL NOS ENVIOU AMOSTRAS PARA ANÁLISE....

... NELAS PODEMOS OBSERVAR COMO O PLASMA EQUINO É NATURALMENTE ICTÉRICO ....



.... POR MEIO DO ESFREGAÇO SANGUÍNEO OBSERVAR AS CARACTERÍSTICAS CELULARES DOS EOSINÓFILOS ....


... MONÓCITOS ....



.... NEUTRÓFILOS E COMO AS HEMÁCIAS FORMAM ROULEAUX ....



.... E MAIS NEUTRÓFILOS ....


.... E A DIFERENCIAÇÃO ENTRE ELAS ....


... ENFIM , NO FINAL ESTAVA TUDO OK E O BLUE CONTINUA COM UMA SAÚDE DE FERRO....

DIAGNÓSTICO LABORATORIAL PLATINOSSOMÍASE - SEDIMENTAÇÃO FECAL

* USAR APROXIMADAMENTE 1 GRAMA DE AMOSTRA FECAL

MATERIAIS NECESSÁRIOS :

* Recipiente de vidro ( Becker )
* Peneira
* Gaze
* Éter
* Água
* Bastão de vidro

DILUIÇÃO DA AMOSTRA EM 10 ML DE ÁGUA

PREPARAÇÃO DO RECIPIENTE, PENEIRA E GAZE

COA-SE A SOLUÇÃO DE FEZES

COLOCA-SE NUM TUBO DE 15 ML COM TAMPA

COMPLETA-SE O RESTANTE COM ETER
* AGITAR O TUBO POR MINUTO

CENTRIFUGAR O TUBO POR 2-3 MINUTOS

OBSERVAR A SEPARAÇÃO EM TRÊS ETAPAS: GORDURA, SOLUÇÃO E SEDIMENTO

DESPRESAR O SOBRENADANTE E RESERVAR O SEDIMENTO

RESSUSPENDER SEDIMENTO COM ALGUMAS GOTAS DE ÁGUA

COLOCAR UMA GOTA NUMA LÂMINA DE VIDRO

COBRIR COM LAMÍNULA

OBSERVAÇÃO AO MICROSCÓPIO ÓPTICO

Objetiva de 40 X
* Ovo de Platynossomun concinum
em fezes felinas

Objetiva de 40 X
* Ovo de Platynossomun concinum em fezes felinas

LEISHMANIA EM SANGUE PERIFÉRICO

Por ser considerada uma doença de caráter sistemico os parasitas do gênero Leishmania podem ser eventualmente encontrados em células do sangue periférico como é o caso deste neutrófilos, mas também podem ser observados em monócitos.

Haemobartonelose felina - RELATO RÁPIDO

ERA UM DIA COMUM NO LABORATÓRIO ATÉ ME CHEGAR UM SANGUE DE UM FELINO ....
AO OLHAR O ESFREGAÇO SANGUÍNEO AS HEMÁCIAS MAIS PARECIAM "BRIGADEIROS" DE TANTOS PARASITAS ADERIDOS A SUA SUPERFÍCIE.

Mycoplasma haemofelis - parasita eritrocitário causador de anemia hemolítica em felídeos era conhecido comoHaemobartonela felis.

ENTÃO CORRI PARA SOROTERAPIA PARA CONHECER O MAU AFORTUNADO ... COITADO DO FELINO
ESTAVA SUPER ICTÉRICO, DAVA PARA NOTAR TANTO NA MUCOSA
QUANTO NA PELE DO ANIMAL
EIS QUE EM MINHA BREVE AVALIAÇÃO ACHO ALGO ESTRANHO....
A TAL COISA ESTRANHA CAIU E SAIU ANDANDO ... ERA UM CARRAPATO Rhipicephalus sanguineus ... ENTÃO RESUMINDO ENCONTRAMOS O VILÃO (Mycoplasma haemofelis) , A VÍTIMA ( O FELINO) E A ARMA DO CRIME( VETOR CARRAPATO)


Ehrlichiose canina

Erlichia canis no interior de linfócito - Objetiva de 100X

Mórulas de Ehrlichia sp. no interior neutrófilo - Objetiva de 100X

Mórula de Ehrlichia canis no interior de monócito ativado - Objetiva de 100X

Citauxzoonose


Babesiose canina

Hepatozoonose canina

Provável caso de Leucemia mielomonocitica e Leishmania

Trypanossomíase canina

Assossiação entre Hepatozoon canis e Trypanossoma evansi em cão do Pantanal Sul Matogrossense

Poliartrite por Leishmaniose viceral canina


POLIARTRITE POR LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA: RELATO DE CASO

LEISHMANIA EM LINFONODO

PUNÇÃO ASPIRATIVA POR AGULHA FINA DE LINFONODO DE CÃO PORTADOR DE LEISHMANIOSE VISCERAL CANINA.
OBSERVAR FORMAS AMASTIGOTAS DE Leishmania sp. no interior do macrófago.

ANEMIA HEMOLÍTICA AUTOIMUNE EM CÃO




Trypanossomíase canina - resumo do SOMVET


LEUCEMIA LINFOCÍTICA CRÔNICA: RELATO DE CASO

TRABALHO DE COOPERAÇÃO ENTRE PETLAB E PETIT BICHON (CAMPO GRANDE - MS)

FIGURA A.Aumento considerável da camada leucocitária ( seta ) em amostra sanguíneacoletada com uso de EDTA.

FIGURA B. Esfregaço sanguíneo do cão portador de leucemia linfocíticacrônica observado à microscopia ótica em objetiva de 40x evidenciando reação leucemóide epredominância de linfócitos.

FIGURA C. Esfregaço sanguíneo do cão portador de leucemia linfocíticacrônica observado à microscopia ótica em objetiva de 100x evidenciandodemonstrando a presença de linfócitos maduros e “manchas degumprecht”(seta)que são geradas durante a confecção do esfregaço devido a fragilidade dascélulas neoplásicas.

FIGURA D. Citologia de aspirado de medula óssea apresentando algumas células mielóides,além do aumento marcante da série linfóide. É possível notar a ausência decélulas precursoras da linhagemeritróide neste campo. (100x)

TVTC - TUMOR VAGINAL COM INFILTRAÇÃO EM GLÂNDULA MAMÁRIA PARASITADO POR LEISHMANIA sp.