sábado, 30 de abril de 2011

Coleta de líquido peritoneal em pequenos animais

Figura 1 - Felino adulto, fêmea com suspeita de Peritonite Infeciosa Felina.

Figura 2- Demonstração do aumento do volume abdominal.
Figura 3- Materiais necessários para a paracentese
Figura 4- Como localizar o local de coleta de material.
Figura 5- Local de punção.
Figura 6- Utilização de Scalp para coleta de líquido peritoneal.
Figura 7- Líquido obtido pela técnia de paracentese do paciente felino. Observar aspecto levemente turvo.Geralmente coleta-se em dois ou mais tubos caso haja necessidade de dosagens bioquímicas e cultivo bacteriano.
Figura 8- Fotomigrografia da análise citológica do líquido demonstrando neutrófilos íntegros e hemácias ao fundo.

Figura 9- Resultado do exame realizado com a efusão peritoneal.

quinta-feira, 28 de abril de 2011

Cálculo de Fluidoterapia para pequenos animais


Sei que o tema foge um pouco do objetivo do blog e que o tema é muito mais abrangente do que este esquema resumido (por essa razão indico que estudem sobre o tema antes de utilizar esta ferramenta), mas espero auxiliá-los com esta planilha que preparei.
Basta preencher os campos em branco.
Clique aqui para salvá-la em seu computador ou acesse o endereço do pendrive virtual do nosso blog:

É necessário ter instalado em seu computador o Excel ou o Infopath da Microsoft.

sábado, 2 de abril de 2011

Dermatofitose - raspado de pele


Figura1- Fotomicrografia de estruturas fúngicas, esporos, em região ectotrix do pêlo observadas após clarificação com KOH ( Objetiva 40 X).
Figura 2- Fotomicrografia de estruturas fúngicas, esporos, em região ectotrix do pêlo observadas após clarificação com KOH ( Objetiva 40 X).

Figura 3- Fotomicrografia de estruturas fúngicas, hifas e esporos, em região ectotrix do pêlo observadas após clarificação com KOH ( Objetiva 40 X).


Figura 4- Fotomicrografia de estruturas fúngicas, hifas, em raspado de pele utilizando a técnica de azul de algodão ( Objetiva 40 X).

Figura 5- Fotomicrografia de estruturas fúngicas, hifas e esporos, em região ectotrix do pêlo utilizando a técnica de azul de algodão ( Objetiva 40 X).